A busca de todo ser humano, por Sean Penn!

by

 

 

     Primeiramente, cabe ressaltar que este é um filme que mexe muito com sentimentos um pouco adormecidos em mim, e, por isso, sou um pouco suspeito para falar sobre ele.

     Esta é uma obra pessoal de Sean Penn, que, além de diretor, é produtor e roteirista. Baseado em fatos reais, o filme conta a história de Christopher MacCandless, que, logo após se formar na Universidade, larga a sua promissora carreira e sai em busca de aventuras pela natureza. Trata-se de um projeto um pouco arriscado, pois tinha tudo para ser um trabalho fraco. Contudo, a coragem e qualidade de Sean Penn transformou esta história em um dos filmes mais mágicos do ano.

     É verdade que o roteiro apresenta falhas ao ser um pouco confuso e não-cronológico, mas isso não tira o mérito de um ritmo muito instigante e cativante. Além disso, a direção deixa a desejar em alguns aspectos por falta de proximidade a respeito das cenas, mais precisamente na fase edição. Fora isso, a caracterização dos personagens é incrível, apesar do pouco tempo em que eles se apresentam ao espectador, dando um sentido, ou não, à aventura que o ator principal, Emile Hirsch, se propõe a realizar.

     Uma aventura/drama que se propõe a uma reflexão intensa em uma busca do eterno sentido da vida. Este é o tema de um filme que, apesar de não ser uma grande obra, possui uma mensagem incrivelmente profunda sobre o que buscamos ser na sociedade atual.

     Impossível não salientar o toque especial da trilha sonora original de Eddie Vedder, vocalista da banda Pearl Jam, que dá um clima “roots” ao filme, de acordo com as palavras de um grande amigo meu. Sugiro que escutem o álbum da trilha do fime, que contém músicas de alta qualidade e um tanto viciantes. Ademais, a fotografia é magnífica e dá um acréscimo natural à película, um dos fatores mais esplêndidos da obra.

     Pessoalmente, destaco o elenco, que, com trabalhos consistentes, contribuiu de forma sincrônica para o desenvolvimento da história. Dou um enfoque maior à atuação de Hal Holbrook, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor ator coadjuvante, primorosa em seus poucos minutos de aparição.

     O cinema necessita de projetos pessoais como o de Sean Penn, fato este que me faz acreditar que a originalidade e genialidade de cineastas ainda existem e podem fazer com que a cultura “Holywoodiana” seja acrescentada por obras de extremo conteúdo.

     Vida, família, existência, sociedade, amizade, liberdade, reflexão, fazem desse filme uma experiência inesquecível.

     “A felicidade só é verdadeira quando compartilhada!”

     “O importante não é, necessariamente, ser forte, mas sentir-se forte!”

     Avaliação: 8


Ficha Técnica:

Na Natureza Selvagem (Into The Wild, 2007)
Direção:
Sean Penn
Roteiro: Sean Penn
Elenco: Emile Hirsch, Marcia Gay Harden, William Hurt, Jena Malone, Catherine Keener, Vince Vaughn, Hal Holbrook, …
Duração: 140 minutos
Trilha sonora: Michael Brook, Kaki King e Eddie Vedder
Distribuição: Paramount
Orçamento: US$ 15 milhões
Site oficial: http://www.intothewild.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: