Jack Black é “Super Nacho” Ignácio!

by

 

 

     É necessário destacar, que, ao se ver um filme típico de comédia, feito para dar risada e ser extremamente descompromissado, não se pode relevar tanto o papel do roteiro, direção e outros termos técnicos que geralmente se percebe nos demais trabalhos. Cabe também esclarecer que a nota atribuída nestes gêneros cinematográficos não reflete o preciosismo ou a qualidade da obra, sendo posta, tão-somente, para manter o padrão utilizado pelo blog.

     Contudo, apesar de um roteiro pastelão, em que Mike White também assina, o filme nos apresenta temas interessantes como religião e paixão pela luta, neste caso a lucha libre. A história trata de Ignácio “Branquelo”, um “padre” que viveu sua vida toda num orfanato servindo comida às crianças. Sempre teve uma paixão pela luta livre, porém, somente arrisca-se a tentar depois de conhecer uma freira linda que chega ao local. Vivendo de dia no orfanato e de noite nos ringues, ele sequer consegue vencer uma única luta, apesar de receber para isso. O seu motivo para lutar, além do encanto da arte marcial, é a melhora de vida das crianças e a conquista da nova freira, interpretada por Ana de la Reguera, que por sinal é um espetáculo de mulher latina, lembrando muito a atriz Penélope Cruz.

     Jack Black, como sempre, encarna o personagem principal e utiliza de suas artimanhas interpretativas, já conhecidas por boa parte dos espectadores do cinema, tais como as caras e gestos quase sempre engraçados. Até arrisca umas cantorias, fazendo-nos recordar um pouco da Escola de Rock. Outro ponto bacana da comédia é o personagem Steven “Esqueleto”, seu companheiro de lutas e treinamentos, que nos faz rir com suas caras bem estranhas e sua crença pela ciência e não pela religião.

     A fotografia também merece elogios, uma vez que se apresenta de forma forte desde o início do filme até o fim, contrastando muito bem a região árida e vazia do México. As músicas, da mesma forma, dão ritmo às aventuras e trapalhadas do gordinho mucho loco.

     Li uma crítica em algum lugar, agora não me lembro onde, que este é um filme feito mais para os fãs de Jack Black do que propriamente de comédias em geral, e concordo plenamente. Ele está muito acima dos comediantes do cinema atual e consegue transpor sentimentos, ainda que não marcantes, a um filme que, em princípio, não passaria de em puro besteirol. Vale a pena perder uma tarde chuvosa para ver esta comédia repleta de pontos positivos ou até mesmo um outro momento, a critério de cada um.

     Olá Chancho, será que eu sou um homem religioso? Encarnación!!!!!

     Avaliação: 6

Ficha técnica:

Super Nacho (Nacho Libre, 2006)
Diretor:
Jared Hess
Roteiro: Jared Hess, Jerusha Hess e Mike White
Elenco: Jack Black, Ana de la Reguera, Hector Jiménez. …
Duração: 100 minutos
Distribuição: Paramount
Orçamento: US$ 32 milhões
Site oficial: http://www.nacholibre.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: