Temporada do Oscar!

by

Estamos chegando na temporada do Oscar, ponto alto do cinema norte-americano. A expectativa dos grandes nomes à estatueta é grande. Confesso que é uma época em que, junto com a chegada do verão, fico bastante feliz diante do misticismo que a grande premiação do cinema mundial cria em todos os cinéfilos de plantão.

Para contemplar tal época, vou entregar-lhes dicas e toques sobre os grandes concorrentes do ano passado, retirando – por óbvio – os títulos que eu já discorri com uma crítica mais completa e que estão disponíveis no blog. Acredito que a última edição do Oscar tenha sido a mais concorrida e equilibrida dos últimos tempos, embora não tenha apresentado grandes obras-primas. Vão elas aí:

 

O Curioso Caso de Benjamin Button (The Curious Case of Benjamin Button, 2008)

O mais fraco dos concorrentes à estatueta de melhor filme da edição 2009. Ainda que seja uma super-produção, recheada de fantasias, com uma direção muito bem realizada por David Fincher e um elenco forte, o filme não vinga. Não alcançou, pelo menos pra mim, a qualidade que era tão aguardada. Por ora cansativo e muito longo, não foge do esterótipo de grandes efeitos visuais. Uma decepção quase completa, se não fosse as qualidades técnicas invejáveis e belíssimas.

Avaliação: 7,5


O Leitor (The Reader, 2008)

Ao contrário da indiscutível qualidade técnica de Benjamin Button, O Leitor perde justamente nesse quesito e também nos tropeços do roteiro. Mesmo assim foi, sem dúvidas, o filme que mais me impressionou dentre os indicados. A história é bastante eficiente e tratada de maneira singular pelo diretor Stephen Daldry; e a atuação de Kate Winslet é brilhante. No mais acaba sendo um filme que divide muitas opiniões. No geral eu fiquei bastante satisfeito com o resultado final. Uma boa pedida de drama misturado com romance e efeitos da guerra.

Avaliação: 8


Dúvida (Doubt, 2008)

O roteirista do cultuado Vivos, John Patrick Shanley, presenteia-nos com esta obra-prima que diverge dos métodos tradicionais de cinema. Quase uma espécie de cinema teatral, o filme nos sufoca de maneira pesada com cenas e diálogos longos, espetacularmente realizado por todo o elenco. Um filme literariamente impecável, que brinca com nossos sentimentos e possui um domínio completo sobre eles durante todo o filme. Indispensável para quem gosta de cinema original.

Avaliação: 8


Frost/Nixon (2008)

Ron Howard como nunca antes visto. Esse é um épico filme sobre a batalha jornalística entre Richard Nixon (o único presidente americano a abandonar o cargo) e David Frost (um apresentador babaca de programa de variedades) que fez com que o mundo todo escutasse as declarações mais bombásticas já retiradas da boca do mais polêmico presidente norte-americano. Frank Langella é fantástico. Talvez a história me apeteça mais, mas, na minha opinião, foi o grande concorrente de Slumdog Millionaire.

Avaliação: 8,5


Milk (2008)

Apontado pelos críticos como um dos favoritos ao Oscar de melhor filme, Milk é daqueles trabalhos feito para todos os tipos de espectadores. Impecável e apreciável por todos, peca justamente na forma comercial de apresentá-lo. Contudo, Gus Van Sant é digno de muitos méritos, uma vez que a história real de Harvey Milk é tratada de maneira minuciosa, com grande exclamação para os atores. Sean Penn, merecidamente, levou a estatueta, conquanto eu ainda insista em dizer que deveria ter ido para Mickey Rourke.

Avaliação: 8


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: